Fernando de Noronha: prós e contras

 Fernando de Noronha Dois Irmaos Viza Travellers

Sim, Noronha é incrível. É verdade, há uma preocupação visível por partes dos habitantes em ensinar a respeitar e preservar esse lugar. Mas, não, lá não é um “paraíso” com “P” maiúsculo como pregam por aí. Explico já. Apesar de seus encantos, há bastante coisa que não consta no script tão divulgado pelo turismo brasileiro. Pra facilitar, dividi em prós e contras minha avaliação. Reforço, porém, que apesar dessa “separação”, a verdade, como vocês bem verão, é que aspectos positivos e negativos se misturam em praticamente todos os itens, afinal de contas, tudo depende da perspectiva. Há muita coisa fantástica sobre essa ilha, mas desde que pisei lá, fiquei comparando com outras experiências que tive, e que são um lembrete de que o potencial desse lugar de ser um destino perfeito ainda não foi totalmente explorado. Principalmente quanto à infraestrutura, que é muito precária quando se sabe quantos recursos de desenvolvimento sustentável existem. Ainda assim, o lugar é inegavelmente famoso por suas praias maravilhosas, abrigando, inclusive, a praia com título de mais bonita do mundo. Vamos lá, então? Começaremos pelas observações que tem mais pontos positivos que negativos.

1) Segurança

Você mal pisa na ilha e todo mundo já te diz que lá “não há roubos”. É verdade. Não tive problemas, e me senti segura sempre que estava na praia e precisava deixar minhas coisas na areia. Mas… senti que eles fazem bastante questão de enfatizar isso, como que para manter essa ideia incutida na cabeça dos turistas. Não me entendam mal, mas acho apenas que se algo ruim já tiver acontecido, eles provavelmente não iriam sair por aí espalhando para todo mundo. Nota: fique tranquilo e leve o que achar necessário, mas, por favor, aquele conselho de “confiar desconfiando” também não faz mal à ninguém, ou seja, não ande carregando todo o dinheiro que você tem para praia. Também não viva na certeza de que se perder algo alguém irá se esforçar para devolvê-lo. Enfim, um pouco de cautela é sempre bom, né?

2) Pessoas gentis e sossego na praia

Isso Noronha tem de sobra! Se quiser pedir ajuda, dicas ou até reservar passeios e restaurantes, peça a algum morador ou ao pessoal da pousada onde você está hospedado. Eles irão ajudá-lo prontamente. Dos anfitriões aos surfistas voltando pra casa em meio à estrada que dão acesso às praias, sempre tem alguém que poderá lhe ajudar, indicar o caminho ou dar um dica legal quanto ao passeio que você está prestes a fazer. Nós ficamos na Pousada Dois Irmãos, que como a maioria na ilha é simples, mas tem um ótimo custo benefício. Veja nossa avaliação do local no Trip Advisor.

Pousada Dois Irmaos Fernando de Noronha 1

Pousada Dois Irmaos Fernando de Noronha 2

Ainda sobre pessoas amigáveis e sossego, na praia não há nenhum daqueles estridentes vendedores ambulantes. Basta chegar, jogar uma toalha na areia e apreciar a vista sem moderação. Aviso: somente alguns cães felizes poderão te “incomodar” com suas brincadeiras na areia e no mar ao seu redor (eles e os gatos são vistos por todos os lados da ilha) 🙂

Cachorro praia da Conceição Fernando de Noronha - Copy

3) Vida marinha

Esse é o ponto alto de Noronha. Espere ao menos um encontro com tartarugas, arraias e outros animais incríveis. Noronha está cheio de uma intensa e belíssima vida marinha. Do observatório dos golfinhos ao berçário dos tubarões, da Baía do Sueste ao porto, você poderá sentir, aprender e observar tudo aquilo que Noronha tanto se orgulha de ter como patrimônio ecológico. Esse pró é especialmente forte, pois é o que mais me encantou, e é algo que com certeza atraí muita gente.

Vista do Buraco da Raquel Fernando de Noronha

Baía Sueste Fernando de Noronha

4) Custo > $$$$

Mas, como tudo nas viagens não são só rosas… Noronha é cara. Mas cara quanto? Com certeza já te avisaram desse aspecto tão característico da Ilha. Ao falar de FN sempre tem aquela pessoa que solta algo do tipo “ouvi dizer que lá tudo custa os olhos da cara”. E eles estavam 200% certos. Pra ter uma ideia:

  • Comida: pratos individuais estão na faixa de R$ 80 a R$ 100, podendo, é claro, chegar a bem mais que isso dependendo do restaurante. Esse é um valor genérico de bons restaurantes, como Xica da Silva, Mergulhão e Triboju. Paga-se caro em bebidas também, com uma garrafa d´água na faixa de R$ 11 (no mercado 1,5L custa cerca de R$7 reais) e sobremesa por volta de R$ 22 a 30 (MAS SÃO DE DIE FOR :P, como esse creme de queijo com goiabada, lá da Pousada Zé Maria).

Sobremesa restaurante Zé Maria

  • Taxas: espere pagar por duas: a TPA (taxa de preservação ambiental a R$ 55* o dia/pessoa) + taxa do Parque Nacional Marinho (necessária já que boa parte das atrações ficam nessa reserva, como a Praia do Sancho, a Mais Bonita do Mundo) a R$ 88* por pessoa até 10 dias de estadia.

Baía dos Porcos Fernando de Noronha

  • Passeios: ilha tur para conhecer os principais pontos no primeiro dia, passeios de barco, mergulho, aquasub e muito mais. Quanto mais passeios e pessoas, maior a chance de conseguir descontos, mas já prepare as notas de cem. Esses tours não saem menos que isso, ou 4x isso, no caso do mergulho, por exemplo.

Passeio de barco Fernando de Noronha

Golfinhos Fernando de Noronha

  • Transporte: dois ônibus cortam a ilha indo e vindo, e cada uso custa R$ 3,00. Mas existem táxis, que têm preços tabelados (já que são pouquíssimos) a partir de R$ 18. Aluguel de bug sai a R$ 200-300 a diária (podendo ser 4x esse valor em altas temporadas).

5) Infraestrutura – poderia ser BEM melhor

“É uma ilha bem compacta, não precisamos de muita coisa”, eles dirão. “Não podemos fazer grandes construções, reformas e etc, por causa do impacto ambiental que isso causaria”, eles argumentarão. E em partes é isso mesmo. Mas ninguém me tira da cabeça o quão “largado” os vilarejos são: há muitos buracos nas estradas, poucas mercearias/supermercados (2 ou 3), falta iluminação em alguns trechos… Um taxista confessou “Amo esse lugar, mas poderia estar melhor. Não se pode nem ficar doente, pois nem sempre há medicamento e tratamento adequados para nos ajudar”. E o que fazer quanto às enormes poças de água bem em frente a grandes pousadas e casas de moradores na época de chuvas? 🙁

6) Trilhas, pedras, caminhadas sem fim e muito sobe-desce

Noronha é dessas que não dá pra levar aquela tia mais velha que anda devagar e odeia longas subidas e caminhadas. Nem aquele priminho em busca de um lugar perfeito pra pular, nadar e fazer castelo de areia. Sim, eu sei, ninguém me avisou nada disso também. Conselho pessoal? Só muito preparo físico e espírito de aventura poderão te ajudar a desfrutar o máximo desse lugar. Isso porque a maior parte das praias fica mata à dentro: você terá que ir de táxi ou bug se não quiser se cansar muito. Mas ainda assim, em algum ponto antes da praia há um grande chance de você ter que enfiar o pé na lama (em época de chuva maio – julho), ou botar a cara na poeira (no verão seco e quente), enfrentar a imensidão de mosquitos (eles estão em todos os lugares) e desbravar a mata quase intocada até chegar nas águas limpas e paradisíacas que a ilha oferece.

Forte do Boldró Por do Sol

Na praia mais bonita do mundo, o Sancho, por exemplo, só se chega à pé, depois de uma longa caminhada numa trilha de cerca de 2km sobre uma plataforma suspensa a cerca de um metro na mata.

Caminho Praia do Sancho

Mas não pára por aí, é necessário descer uma escada íngreme que fica numa encosta de rocha para chegar até a areia. Quem tem fobia de altura ou não possui um condicionamento físico adequado terá que aproveitar o Sancho só por barco, e é por isso que fiz a ressalva quanto às pessoas mais velhas e novas.

Escadaria Praia do Sancho Fernando de Noronha

Bom, o que pode parecer bem trabalhoso tem lá suas recompensas. Antes mesmo de encarar essa cena aí em cima, você já vai se motivar ao se deparar com essa vista:

Praia mais bonita do mundo Sancho

E logo após sair do mar, ainda poderá se aventurar numa cachoeira escondida num canto da praia, que é muito bem-vinda depois de um mergulho salgado:

Praia do Sancho
Cachoeira Praia do Sancho - CopyClaro, há lugares mais acessíveis, mas deu pra entender que a regra geral é mais o contrário mesmo.

Enfim, há sempre muito a se explorar em Noronha, eu apenas quis detalhar e especificar algumas coisas que não me disseram antes dessa minha primeira visita.

Como tenho grande respeito e amor por essas questões evolvendo preservação de fauna e flora, tentei mostrar o que há de melhor nesse lugar incrível, mas sem fechar os olhos pra tantas coisas que deveriam ser feitas para que esse destino fosse realmente perfeito, mais estruturado e preparado para todas as pessoas.

Afinal de contas, vale mesmo visitar FN depois de tudo que relatei como opinião pessoal? Bem, vou deixar mais algumas fotos pra ajudar vocês a responderem essa pergunta! 😉

Bar do Meio Fernando de NoronhaVista do Bar do Meio Fernando de NoronhaMabuia Fernando de NoronhaMorro do Pico Fernando de NoronhaViza Travellers no Bar do Meio Fernando de Noronha

* Os valores aqui listados são referentes a maio de 2015, e podem ser alterados de tempos em tempos.

0 thoughts on “Fernando de Noronha: prós e contras

  1. Mariana,
    Ainda não fui a Noronha mas já ouvi todos esses pontos do teu post de amigos que já foram. Sobre a segurança, a necessidade de enfatizar a segurança vem da falta dela nas outras praias do Brasil. Ninguém deixa sequer as havaianas desacompanhadas em muitas praias do Brasil.
    Beijo,
    joana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *